121 | lua em gêmeos

De roupa molhada na piscina quente na madrugada gelada.

Corpos expostos na varanda.

A montanha de sacolas se acumulando no chão do quarto.

Os olhos brilhantes vendo o livro de ilustrações encontrado no fundo da prateleira mais baixa do fundo da livraria escondido ao lado do único outro exemplar levemente amassado.

A criança crescida comemora com as crianças que ainda não cresceram. Não sei quem se diverte mais.

Uma mãe dedicada e uma vó feliz. Irmãos espalhados pra todo lado.

Cafézinho servido aos montes.

A menina tímida se escondendo no braço da mãe igualzinha a mim nessa idade, talvez até hoje.

Amor que transborda pelos olhos.

Você a viu chegando e ficou na defensiva enquanto eu, pela primeira vez na vida, fiquei de boa. Ela só queria saber se alguém tinha tabaco. Você baixou sua guarda.

Qual seu nome? Pedro. Mentira. O seu também?

O sorriso de olho fechado em agradecimento pelo presente de aniversário. A vida procurou no fundo da prateleira mais baixa no fundo da rua mais escura e escolheu enviar o exemplar amassado.

A lua tá onde hoje? Me sinto conectado. Falei áries, errei, era gêmeos. Claro.

3 de janeiro de 2023

--

--

pelo visto esse é o meu diário

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store