210 | no meio, sempre no meio

aérea
1 min readApr 5, 2023

Quanto mais a gente se observa e quanto mais a gente tenta melhorar mais a gente percebe onde ainda falta muito.

Lá vou eu repetindo mais uma vez a palavra que se tornou minha companheira: entendi! Na minha tentativa por enxergar todos os lados e entender o ponto de todo mundo estive ausente onde mais fui necessária: no meu lugar, o único que eu sou capaz de ocupar.

Errei, reconheço.

A segurança se constrói com o tempo e os processos precisam ser vividos com paciência, uma conversa de cada vez e sem pressa em deixar de sentir o que é ruim. Ainda posso estar bagunçada, mas não estou mais confusa e quanto mais consigo continuar caminhando mais ganho perspectiva do lugar onde eu estava. Quando a gente está muito no meio da tempestade fica até difícil de saber o que é o quê e eu sinto muito por ter chovido para dentro da sua janela.

Boas intenções não servem de nada quando a mensagem chega de forma errada. Parei de tentar me equilibrar no meio-fio, o chão não é lava, o chão é o chão e eu escolho onde quero pisar.

2 de abril de 2023

--

--