228 | bati a cabeça com força na quina da parede

aérea
2 min readApr 22, 2023

Dia de eclipse sempre é estranho e a semana inteira tem sido esquisita. Os sonhos parecem mais reais que a realidade e acordada o inconsciente me pressiona querendo emergir. Me sinto uma panela de pressão tateando freneticamente em busca das válvulas de escape para não explodir.

Tudo me faz querer chorar. Seja bom, seja ruim, seja neutro, tudo cutuca aquele ponto que já é sensível por natureza e agora mais ainda. Busco em seus olhos conexão e te vejo me procurando nos meus, sei que estou longe, tão ao fundo lá dentro que pouco de mim consegue ficar aparente. É, talvez não seja o inconsciente que está perto da superfície, talvez seja eu que estou fundo demais.

O que é que eu fiz da minha vida até hoje? O que é que eu tenho para mostrar? Contemplar a vida é lindo, mas quando é que eu vou participar?

Cansei de só observar e escrever sobre, cansei de só observar e refletir, cansei de só observar e tirar fotos, cansei de só observar e dar ideias, cansei de só observar, de só pensar, de só falar. Quero fazer algo com as minhas mãos e ser reconhecida pelo que tem a minha cara. Ah, esse eclipse em áries no meu meio do céu… Entendi, tá na hora de fazer o que é meu.

Saio do meu corpo de tanto que entrei para dentro dele e termino o dia indo com a cara na quina da parede. Toma, mais um galo na cabeça que sofreu umas boas pancadas essa semana. Estive meio fora da sala de controles mesmo, é muito pensamento, muita emoção, muito tudo e pouca noção espacial que já não é lá grandes coisas. Estrelinhas giram ao redor da minha cabeça feito desenho animado. Tô tonta, tô estranha, tô doendo, tô chorando, tô mais desastrada que o normal.

20 de abril de 2023

--

--