26 — de volta para casa

Vinte e seis dias se passaram. Vinte e seis dias que duraram dois anos. Já mal lembro do começo dessa viagem, o que me faz ficar absurdamente feliz comigo mesma por ter deixado tudo escrito aqui. Nunca fui de tirar fotos de momentos especiais e se não são as outras pessoas que puxam o celular eu fico sem ter registro nenhum. Mais do que ver como eu estava em tal dia, aqui eu posso relembrar como eu pensava e acompanhar passo a passo todos os processos internos que vivi [algo que pelo menos para mim é muito mais valioso].

Em algumas horas estarei chegando em casa de uma viagem que foi uma enorme volta para casa. Revisitei meu passado, minha infância, meu apartamento, meu quarto, minhas histórias, minhas amigas, minha família… Revisitei a mim. Me encontrei mais uma vez como tantas outras antes e tantas outras que ainda vão vir. Lembrei de quem eu sou e que eu sou exatamente quem eu quero ser. Aprendi que sim, mudei muito, mas mudo cada vez me tornando ainda mais eu.

Comecei tudo isso me despedindo e agora digo com toda a certeza do mundo que em nenhum momento você deixou de estar comigo. Querendo compartilhar tudo, não deixei nada passar, andei por aí mais atenta do que nunca e absorvi tanta beleza que eu mesma comecei a brilhar. Fui colhendo as flores que encontrei para te entregar um buquê quando voltasse e agora carrego tantas que já podemos abrir uma floricultura. Aprendi que caminhar pelo mundo com o olhar de quem quer contar tudo o que vê nos faz viver com mais gosto e apreciar qualquer coisa que aconteça, porque no mínimo vira história.

Li esses dias que se admiramos uma característica em alguém é porque ela também vive em nós. Quando nós nos conhecemos, meus olhos cansados e fechados só queriam chegar em casa e dormir, mas entre uma piscada e outra se encontraram com os seus abertos, brilhantes e maravilhados; e dali nunca mais quiseram sair. Hoje são os meus olhos que brilham com encantamento por tudo ao meu redor e eu tenho você a agradecer por me tirar do meu torpor. Você, desde sempre, me inspira a inspirar.

Volto diferente e sei que vou te encontrar diferente também. Mais do que nos reencontrar, vamos nos reconhecer mais uma vez como tantas outras antes e tantas outras que ainda vão vir. Mal posso esperar para continuar vivendo dia após dia apreciando as flores que encontrar em meu caminho e compartilha-las com você.

--

--

pelo visto esse é o meu diário

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store