263 | ir de vez uma só vez pra nunca mais ter que voltar

aérea
1 min readMay 26, 2023

Obstinada a tentar vencer o dia esqueci que é só a madrugada que cura. As vozes que vem de dentro não gritam e nem sussurram, elas falam suavemente apenas quando são necessárias e somente quando sabem estar sendo ouvidas. No silêncio da cidade que dorme elas recitam em uníssono todas as dores das feridas esquecidas abertas, ainda abertas mesmo que já em processo de cicatrização.

É só depois de mergulhar com as lagostas no lago profundo da lua que o sol pode nascer. O caminho é longo na escuridão porque de olhos fechados o tempo deixa de existir, ele só pertence ao dia e a noite reina imóvel, impassível diante dos lamentos mortais. Deixa que venha o que tem que vir, filha, diz ela, e permanece ali enquanto tudo o que tem que chegar chega, tira tudo de dentro, vai.

A escolha por uma vida de aprendizado significa nunca viver duas vezes a mesma coisa e nessa noite choro pelas perdas de tudo o que fica para sempre no passado.

25 de maio de 2023

--

--