280 | tenho opiniões

aérea
2 min readJun 13, 2023

Que tal a gente parar de reproduzir os mesmos padrões de merda ein? Que tal a gente parar de reforçar que sem o amor que a gente quer a gente morre? Isso quando quer né. E quando é amor, porque na maior parte das vezes não é nem um nem outro, a gente só acha que é porque nos ensinaram que é.

Que tal a gente parar de reforçar que é só insistir que a outra pessoa cede, especialmente se for mulher, que é só falar com o tom de voz certo e o olhar certo e pronto, tá na mão. Que tal a gente mandar esses estereótipos ridículos pra casa do caralho?

Porra, tem tanta coisa mais interessante pra falar, sabe? E olha que eu me considero uma grande romântica às minhas próprias custas, um romancinho bobo de vez em quando não faz mal não… Mas de bobo isso aí não tem nada, né? É manipulação emocional correndo solta, pressão social e glamurização do conceito de força feminina todo às avessas.

Voltamos no tempo, foi? Ninguém achou isso estranho não? Olha o tanto de criança assistindo essa merda, crianças como a gente já foi e crianças que como nós vão crescer assistindo esse tipo de coisa que fez a gente crescer desse jeito todo errado com valores todos errados e agora estar sofrendo pra tentar se arrumar depois de tanto desserviço.

Já deu, né? Depois de gastar e continuar gastando porque ainda falta muito da própria energia pra tentar corrigir toda essa lavagem cerebral que fizeram na gente eu só não consigo entender qual é o apelo de gastar ainda mais energia de tanta gente foda pra caralho pra reproduzir uma história merda que poderia muito bem ficar lá no ano em que ela foi criada.

11 de junho de 2023

--

--