284 | os gatos estão assustados

aérea
3 min readJun 18, 2023

Será que é intuição? Será que é medo? Será que é premonição? Será que imaginação fértil? Será que é impressão? Será que é o que que será que é? Na maior parte do tempo não sei responder e como é difícil ser levada a sério quando o que você tem a dizer não faz sentido. Esquece-se que nem tudo na vida é racional e que não é por isso que deixa de ser tão verdade quanto.

Como explicar aquilo que sinto na pele? Não é algo que vejo, que ouço, não é um cheiro de algo, não é a temperatura do ambiente que muda, não é nada fora de mim, é tudo dentro. É meu corpo que reage a coisas que meus outros sentidos não conseguem captar.

É uma vontade de chorar tão parecida com a minha, mas não é a minha porque eu me conheço e eu sei a minha forma de chorar, mesmo quando choro sem saber o porquê. É uma raiva fria e pontiaguda ao invés da inquieta e espasmódica que nasce de mim. É um estado de alerta que surge sem ser ativado por absolutamente nada. É uma tristeza que me engole sem que eu por ela seja engolida.

Sinto com as emoções aquilo que não consigo tocar e como posso explicar de um jeito que não pareça loucura quando digo que não preciso saber o por quê das coisas que sinto porque acredito em mim, mesmo quando ninguém mais acredita. É difícil insistir quando a lógica me atropela e realmente, não tenho argumentos, mas também nunca estive tentando ganhar.

Geralmente sei o que é que sinto e de onde vem, mas fui tão questionada que agora eu mesma me questiono e nem sei mais de quem é a voz que me silencia. Tem algo de errado aqui. Tem alguém aqui. Tem alguém aqui e você precisa só acreditar em mim porque eu não tenho os meios de te provar e eu nunca tive a intenção de provar nada, mas eu sei. Eu sei e isso me basta.

Nunca fui uma pessoa que acredita em tudo e ouso dizer que sou até bem cética, por mais que possa não parecer, mas aprendo com a experiência e tenho vinte e sete anos de experiências acumuladas nas minhas células e no meu inconsciente, não é muito, mas é crescente, não é crença, é experiência e se tem uma coisa que eu faço na vida é perceber.

Os gatos sentem. Os animais sabem, eles sempre sabem, e é por isso que em filmes de terror eles são sempre o primeiro sinal de alerta. Eles sabem porque eles sentem nos bigodes e eu sinto meu coração acelerar em pânico no momento em que meus dedos encostam na gata. Seus olhos arregalados contam uma história que ninguém ouviu enquanto o outro encara sem parar a porta fechada. Por que é que os gatos tem medo? Não faz sentido, mas me percebo parando o que faço e encarando também a porta fechada a cada poucos minutos.

Não sei o que fazer e não sei como explicar, mas sei que tem algo de ruim ali. Talvez nem o homem saiba o que é que ele carrega, talvez ele saiba muito bem, independente disso eu sinto em algum lugar que não sei onde é que fica.

15 de junho de 2023

--

--