300 | que bom que eu vim

aérea
2 min readJul 4, 2023

O sol queimava na cobertura do tio rico do amigo, Família reunida, amigos reunidos, churrasco de comemoração da tão esperada formatura. Não fosse sábado, com certeza seria domingo. Não fosse a patada pelo estresse e pela ressaca, a irmã mais nova não teria ficado chateada e a mais velha não teria tido que ir sozinha. Não fosse o cansaço, eu teria chegado mais cedo pra fazer companhia, mas nem parece que ela foi necessária porque cheguei na hora que cheguei e a mesa já estava cheia de conversas e drag queens.

A roda de histórias teve até a da avó cansada de homens fedidos que só querem saber de dançar com as cocotinhas, palavras dela. Se tá difícil na idade de vocês, imagina pra gente.

Pés descalços na piscina que, olha só, nem tá gelada. Mandioca e só mandioca no prato da vegana que já comeu antes de vir, mas viu todo mundo comendo e também quer algo pra mordiscar. O amigo do amigo que parece nem ligar pro fato de que um dia entre a gente houve atrito e que bom porque eu também não ligo. Hoje tudo é macio.

Até o uber que puxa assunto e, coisa rara, ele é bem-vindo. Até o bar que era pra ser logo e logo mais depois e mais depois e mais depois até que já são onze horas da noite e eu acabei de sair de casa sinceramente já bem cansada porque sinceramente se eu soubesse que estaria saindo essa hora eu não teria vindo, mas, sinceramente, que bom que vim.

1 de julho de 2023

--

--