332 | sobre a escrita

aérea
2 min readAug 2, 2023

Seria presunçoso demais dizer que enlouqueci fazendo isso e então não vou. Mas que pensei, pensei.

Baixei em meu computador uma extensão que deixa preta toda a tela, inclusive essa. Meus olhos sensíveis à luz agradecem, mas o escurinho me deixou confortável demais. Hoje escrevo na tela branca.

Que a escrita é o escudo dos sensíveis já sabemos. A arma também, muitas vezes voltada para a própria cabeça já inchada de tanto pensar. A arte como um todo faz isso e na mesma medida que faz sair a nhaca de dentro também abre espaço para cada vez mais nhaca entrar. As caraminholas se enroscam nelas mesmas e crescem, adubadas por licença poética.

Cansei de semear caraminholas enquanto minha pequena horta de varanda definha por falta de rega.

Houve um tempo em que todo dia ao acordar eu dava bom dia às plantas. Conforme os dias se entulharam esqueci de conversar com elas e elas, em troca, pararam de querer viver na minha companhia.

Tudo o que quero fazer demanda que eu mantenha aberta a parte de mim que escuta as plantas, ou pelo menos deveria, mas em meio à algumas dores daquelas que ninguém consegue se abster na vida troquei sensibilidade por fantasia e acho que posso dizer com firmeza que ninguém se beneficiou com isso. Nem eu, nem o boldo e nem a escrita, que ainda não consegue ser firme por conta própria porque enquanto eu vivo só dentro da cabeça não preciso fortalecer o corpo na academia.

Retomo as rédeas que enrolei no coração e o devolvo ao lugar onde deve estar, do lado de dentro do peito. Coração foi feito para indicar a direção e não para nos fazer chegar lá, quem faz isso são as pernas e as minhas ainda estão aprendendo a caminhar com o pé inteiro no chão. As mãos são quem abrem o caminho para as pernas passarem, seja com gesto ou facada, ou, nesse caso, com dedadas violentas demais para o teclado macio.

Stephen King disse: "Coloque sua mesa em um canto e, toda vez em que se sentar para escrever, lembre-se da razão de ela não estar no meio da sala".

Fiz diferente, me sentei foi no piso gelado.

2 de agosto de 2023

--

--