60 | não tem como falar sobre a não ser falando sobre

Vivência é uma palavra engraçada, né? Teoricamente nossas vidas inteiras seriam vivências, mas sabemos que nem sempre é assim — quase nunca, se formos bem sinceros. Chamamos experiências específicas criadas com um propósito de vivências sendo que todos os dias são assim — ou pelo menos deveriam ser — se assim quisermos que sejam. Cada respiração é única mesmo que cíclica, cada pensamento é único, mesmo quando repetido, cada sensação é única, mesmo quando já é conhecida.

Te ouço me contar sobre uma vivência que pareceu incrível e sobre como participou de um exercício para se colocar no espaço de cada emoção. Você me fala sobre como ocupou a raiva até que ela se ocupou de você. A força que se continha num quadrado de fita no chão passa pelo seu corpo e o preenche até se tornarem um. Você encontra os quadrados de fita dentro de si e passa por eles para me mostrar como funciona.

Te vejo sair do quadrado em que estava, mas não sei se saiu de vez ou se entrou em outro, não sei para onde você foi, não sei onde você está. Olho em seus olhos e tento entender se te enxergo ou se te assisto. Você sorriu porque quis sorrir ou porque me viu sorrir? Sou eu que estou te puxando ou é você que me puxa? Sou parte da performance ou ela já acabou? Me sinto me olhando em um espelho, mas não sei se o espelho sou eu, se é você, se somos os dois ou nenhum de nós.

Acabou? Acabou o que? Aconteceu alguma coisa? O que que aconteceu? Estreito os olhos em desconfiança e me sinto te perfurar. Atenção cravada no fundo da alma. Você fala que ficou envergonhado, não, auto-consciente, não, encabulado. Corou sob a luz azul do abajur que não me deixa ver. Corou mesmo? O que eu vejo é o que você está sentindo ou o que está me mostrando? Tem diferença? Isso ainda faz parte? Faz parte do que? Disso aí que você tá fazendo. O que que eu tô fazendo? O QUE QUE ESTÁ ACONTECENDO?

Não sei, sei que foi intenso. É isso então né, entendi. Entendi o que? Não sei, entendi um monte de coisa, mas não sei explicar. Várias luzes se acenderam aqui dentro e várias memórias vieram à tona. Entendi, eu juro que eu entendi, mas não consigo explicar. Tinha que estar lá para entender, mas mesmo estando lá não tem como te mostrar o que acontece dentro de mim, talvez só assim, entende?

03 de novembro de 2022

--

--

pelo visto esse é o meu diário

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store