30 | me engulo por cima do entalado

Não consigo falar porque não quero expor isso para você. Penso em como passar o ponto sem falar qual é o ponto porque não é o ponto que interessa, mas você o força para fora de mim. Passou, mas ainda sinto o gosto amargo na boca por ter vomitado o que não era seu para saber e nem meu para contar.

Não consigo falar porque tudo o que falo é tão rebatido que eu mesma começo a me rebater inteira em pensamento por dentro. Por que você me bombardeia de perguntas se não pretende me deixar responder? Prendo na garganta o que não encontra espaço para sair.

Não consigo falar porque não quero competir, mas você parece já estar jogando contra mim. Claramente existe uma resposta certa e claramente ela está muito longe de qualquer uma que eu dê. Não importa o que eu diga, já errei, já perdi, então fico calada.

Paraliso. Não… Não sei… Não sei dizer… Talvez… Sei lá… Pode ser… CALMA! NÃO CONSIGO. PENSAR! Paraliso. Hiperventilo. Gaguejo. Travo. Meu coração frenético tenta fugir, mas meu corpo não responde, não reage, não sabe de mais nada. Recuo cada vez mais até me trancar de novo dentro de mim. Olho ao redor e me vejo mais uma vez sozinha. Me frustro pela raiva que não consigo exprimir e que continua se debatendo dentro de mim, não sei se ela é sua ou minha ou de nós dois. Será que te machuquei? Onde é que está doendo?

Se for para ser assim primeiro se acalme, por favor, não consigo falar mais alto que você sem gritar e já não tenho mais voz. A perdi muitos anos atrás e é justamente ela que estou tentando reencontrar. Não quero me calar de novo, mas não consigo evitar quando me vejo em batalha. Sou covarde, não quero lutar, não faço questão nenhuma de ganhar, nesse momento só quero que me deixe em paz.

Não sei o que você espera de mim, mas meu melhor não é suficiente. Já nem sei mais o que eu queria dizer, mas começo a chutar qualquer resposta na tentativa de te satisfazer logo e conseguir sair daqui, mas não importa o que eu fale, nada parece ser suficiente, está bastante óbvio que eu não sou suficiente. O que é que você quer de mim? Já estive nesse lugar antes e me dói estar aqui. Larga meu pulso, por favor, e me deixa sair.

Me sinto pequena. Insignificante. Minúscula. Errada. Errada. Errada. Toda errada. Não acerta uma. Faz tudo errado. Cala a boca, garota, não sabe de nada do que fala. Fica quieta que é melhor. Se esconde no canto onde ninguém te enxerga, onde ninguém te nota, onde ninguém te pergunta algo que você não sabe responder. Se encolhe que é melhor. Se encolhe porque dói. Se encolhe até desaparecer e o mundo inteiro te esquecer.

4 de outubro de 2022

--

--

pelo visto esse é o meu diário

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store