esse lugar tão meu dentro de mim

aérea
2 min readDec 29, 2023

O negócio é que eu gosto de refletir sobre tudo o que acontece, só que diferente de um filme que dá pra pausar e falar sobre, a vida simplesmente continua e cada vez mais e mais coisas entram na fila de tudo-o-que-eu-quero-te-contar-mas-não-deu-tempo. É desse lugar que escrevo porque é nesse lugar onde me sinto sozinha e é da solidão que nasce a minha escrita, aparentemente.

Quero me sentir compreendida dentro dos meus funcionamentos internos, quero descrever em detalhes aquela experiência completamente insignificante pra qualquer pessoa que não eu, mas que talvez por você me amar você ache interessante assim como me interessam profundamente os seus silêncios.

Penso que, talvez, se eu conseguir te pintar uma imagem perfeita de todo o processo extenso e vertiginoso pelo qual eu passei enquanto olhava nos seus olhos você consiga entender todas as caras que a minha cara faz.

Só que você já entende.

E eu também já entendo.

E me parece que continuar aqui nesse espaço contínuo e infinito de relatos internos é estagnação quando o momento me pede pra seguir em frente. O momento é outro. Já levamos a reflexão à exaustão. Mas será que não é precisamente por isso que eu nasci pra escrever? Porque não me canso de falar sobre o que já passou? Não é por isso que estamos todos aqui, eu e vocês? Porque não existe fim praquilo que queremos falar sobre?

E eu queria te contar que essa semana gargalhei na terapia ao invés de chorar porque senti no corpo pela primeira vez a vulnerabilidade com confiança e não medo. Que me abri ao invés de me fechar e que sem nem hesitar e nem precisar pedi por algo que quis porque quis. Foi essa mesma risada que você viu brotar em mim ontem à noite por prazer e por um segundo estranhou. Ela é nova mesmo. Tava escondida aqui dentro.

Queria te contar que sozinha em casa passei o perfume novo que você me deu e desenhei símbolos no meu rosto com sombra líquida azul, aquela que é um parto pra tirar depois. Fiquei mais de duas horas conversando comigo mesma no espelho, não sei quanto tempo se passou, estive fora dele e agora as lembranças são tão turvas quanto um sonho. Foi depois disso que precisei dormir tanto, o trabalho tinha que continuar no inconsciente.

Queria te contar também que ontem dormi pensando no quanto você me ajuda a ser uma pessoa melhor e que lembra de todo o tempo que levou até que eu conseguisse dormir tranquila do seu lado?

O ano tá acabando e mais uma vez eu sou uma pessoa irreconhecível à que o começou, o que pra mim é garantia de um ano bem vivido. Cresci, viu, muito mais pra dentro do que pra fora, é verdade, mas quem foi que disse que o que é visível aos outros é o que mais importa?

Eu hein, oxe.

29 de dezembro de 2023

--

--