te conheço de algum lugar

Olho nos seus olhos e vejo os olhos que tenho certeza que já vi. Tanto já vi que deixo que me vejam também. Olho e chego em casa depois de viajar, tomo banho no meu chuveiro, visto a roupa que me esperava limpa na gaveta e deito na cama já há muito moldada com a forma do meu corpo. Em algum momento olhei nos seus olhos e pra ali dentro me mudei.

Na ponta dos seus dedos sinto a ponta dos meus dedos. No seu toque sinto o toque que te faço sentir. Sentir a minha pele na sua faz a minha se arrepiar. Não sei onde a minha acaba e a sua começa, sei que elas se encontram no meio num enrosco de quatro pernas e quatro braços que toda noite descobrem uma nova forma de se encaixar.

Quando percebi já te sentia na ponta do dedinho do pé. A camisa que te emprestei por cinco minutos me fez passar o resto do dia no seu pescoço. Seu peito logo virou poça de baba de uma noite profunda sem sonhos. Quando se permite viver de sonho, durante a noite dá pra descansar.

Vidas inteiras em um segundo. Você me recebeu de braços abertos sem saber que eu estava chegando e me abraçou no abraço que fez o meu mundo inteiro voltar pro lugar. Eu não fazia ideia do que me esperava naquele dia que começou tão normal. Quem diria que me esperava tudo desde sempre ali.

--

--

pelo visto esse é o meu diário

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store