25 | tem um bicho estranho me encarando

Olho ao meu redor dentro de mim e reconheço onde estou. Vejo os mesmos espinhos que anos atrás surgiram e me despedaçaram por inteiro até uma nova pele nascer por baixo e me fazer despedaçar toda a realidade que não mais me servia; sinto as mesmas feridas que já há muito haviam cicatrizado e cobertas por novas tatuagens agora se abrindo como se nunca tivessem deixado de sangrar; choro as mesmas lágrimas; grito o mesmo urro; rasgo a mesma casca que sem que eu percebesse cresceu de novo e eu jurando que já tivesse me libertado, iludida.

Mesmo saindo de lugares totalmente diferentes e caminhando caminhos totalmente diferentes, em exatamente o mesmo tempo cheguei no mesmo exato lugar. Parece que a vida realmente funciona em ciclos, né? Fui pega desprevenida de novo, do mesmo jeitinho, no mesmo susto de olhar ao redor e perceber meu deus, mas como foi que eu cheguei aqui? Sei como foi. Sei exatamente como foi porque pelo menos agora eu tenho mais experiência e mesmo que eu não tenha percebido a tempo, agora consigo olhar pra trás e pensar "é… Realmente…".

Mas foi do nada! Do nada!!!!!!!!

Mas nada é do nada e é aí que entra o fato de eu ser uma iludidazinha que se engana consigo mesma e acha que já superou as próprias barreiras, mas nããão, elas continuam sempre ali, só se esconderam na moita enquanto eu me distraía achando que estava tudo bem, tudo ótimo, tudo maravilhoso até que PÁ! Bem no meio da minha cara.

Como eu disse…Iludida. Mas não é ilusão se é verdade… né? Até que ponto é a mesma coisa? Até que ponto é só trauma? "Só" . Dessa vez é diferente porque tudo ao meu redor é diferente, a recepção que eu recebo é diferente, a minha forma de lidar é diferente. Mas quão diferente pode ser se eu me sinto exatamente igual?

Ah… Entendi. Olha netuno aí dando o ar da graça. Logo ele que vive aqui sentado sob meus ombros cobrindo meus olhos com as mãos e me fazendo caminhar às cegas pela vida enquanto canta "lááááááá lá lá lá lááááá". Ele me distrai com a sua cantoria até que eu entre na brincadeira também e esqueça que não enxergo nada, nem percebo que urano andou preparando uma tempestade ao meu redor até que de uma só vez ela desaba, quando dou por mim já estou completamente encharcada. Vez ou outra netuno tira as mãos de meus olhos e me vejo muito longe de onde eu imaginava estar. O que que aconteceu, onde diabos eu estou e como foi que eu cheguei aqui?

Dessa vez, na verdade, pensando bem, talvez eu não esteja tão longe assim porque andei cultivando meus outros sentidos pra conseguir caminhar, mas mesmo assim, foi o susto que me pegou desprevenida. Calma, respira, vai com calmVAI COM CALMA!!!! Vai. Com. Calma. Respira. Mais uma vez. Outra. Ok. Tá tudo bem? Tá tudo bem. Pensa melhor. Não, na verdade não tá tudo bem. NÃO TÁ TUDO BEM?! Pânico, caos e desespero me sobem à garganta num grito que não sai. Calma. Lembra do que você sempre fala… Não estar bem é bom, é sinal de que ainda dá pra melhorar.

Bizarro, viu? Isso aqui tá bizarro. Tá estranho. Acordou um bicho dentro de mim que eu nem lembro que cara tem porque na verdade nunca chegou a sair, acho que só tinha dormido. Na verdade… Pensando bem… Realmente… Até que faz sentido. Tem um bicho estranho me encarando dentro de mim e eu acho que esse bicho sou eu.

29 de setembro de 2022

--

--

pelo visto esse é o meu diário

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store